Jundiai - SP

Como prevenir o câncer de pele

Como prevenir o câncer de pele

Infelizmente o câncer de pele faz anualmente muitas vítimas em todo o mundo. Segundo especialistas, o envelhecimento da população, o descuido com a pele durante a exposição solar e a melhoria nos sistemas de notificação da doença são as principais causas do aumento do número de vítimas desse tipo de câncer.

O câncer de pele é a proliferação incontrolável de células cutâneas anormais.

O câncer de pele é de longe o mais comum na população mundial. A sua incidência global não é reconhecida, pois muitos cânceres de pele não são reportados pelos próprios médicos e vários não chegam a ser tratados. Segundo a sociedade americana de câncer, a cada ano há mais casos novos de câncer de pele do que a somatória da incidência dos cânceres de mama, próstata, pulmão e cólon.

Segundo especialistas, o câncer de pele pode aparecer tanto pela exposição acumulada durante toda a vida quanto por episódios de queimaduras. Por isso é importante usar o protetor solar todos os dias.

Geralmente, o câncer de pele é mais comum em pessoas de pele, cabelo e olhos claros, mas ele pode surgir em qualquer tipo de pele, sendo, por isso, importante ficar atento a sintoma como aumento de um sinal ou pinta e feridas na pele que demoram mais de 1 mês a cicatrizar.

Qualquer lesão da pele com aspecto de nódulo, tumor ou mancha. Pode haver sangramento ou não, pode ser um sintoma de câncer de pele.

A boa notícia é que se diagnosticado em estágios iniciais, o câncer de pele tem 100% de cura.

O principal tratamento para o câncer de pele é a cirurgia. Em alguns casos, principalmente nos casos avançados, a radioterapia e a quimioterapia também podem ser utilizadas.

Ações de proteção individual contra a luz solar, educação em saúde para a população e promoção de ambientes que propiciem a proteção contra as radiações solares, principalmente nos ambientes de trabalho e lazer, são efetivas para a prevenção.

Veja algumas recomendações importantes para evitar o desenvolvimento de câncer de pele:

Proteger a pele do sol

Para proteger a pele corretamente, deve-se evitar a exposição solar nos momentos mais quentes do dia, principalmente no verão entre as 11 h e as 16 h, procurando ficar na sombra sempre que possível, optando ficar em barracas de algodão ou lona que absorvem 50% da radiação ultravioleta.

Além disso, é importante:

* Usar chapéu com abas largas;

* Vestir camiseta de algodão, que não seja branca nem preta, ou roupa com proteção solar que possuem na etiqueta o símbolo FPU 50+;

* Usar óculos escuros com proteção UV comprados em ópticas especializadas.

Usar protetor solar durante todo o ano

Deve-se aplicar diariamente protetor solar contra as radiações UVA e UVB com fator no mínimo 15, aplicando o produto no corpo todo, incluindo no rosto, pés, mãos, orelhas e pescoço, voltando a aplicar a cada 2 horas ou depois de ir na água, porque sua proteção diminui.

É importante que você escolha o protetor solar mais recomendado para o seu tipo de pele.

Leia também:

TRANSFORMANDO SONHOS EM OBJETIVOS E OBJETIVOS EM REALIZAÇÕES!  

SAÚDE MENTAL, COMO ENCONTRAR O EQUILÍBRIO?

Não fazer bronzeamento artificial

Usar câmaras de bronzeamento artificial aumenta as chances de ter câncer de pele, pois embora a pele fique mais morena rapidamente, a exposição intensa a raios UVB e UVA aumenta as chances de acontecerem alterações nas células da pele. Usar protetor solar nos lábios e proteger a pele colocando band-aid nos sinais, tatuagens e cicatrizes pode não ser suficiente.

Vale lembrar que é sempre recomendado buscar orientação médica. Os exames preventivos devem ser feitos nas unidades básicas de saúde ou nas equipes de saúde de família. Se possível, uma vez ao ano, ou conforme orientação médica.