Jundiai - SP

O que é Apneia do sono?

O que é Apneia do sono?

Conhecida popularmente por causar roncos, a apneia do sono é uma doença que pode provocar muito mais barulhentos roncos noturnos.

A apneia do sono é caracterizada por ruídos e interrupções na respiração que se repetem, no mínimo, cinco vezes num período de 60 minutos. Não se trata de um simples ronco. Na apneia, a barulheira noturna é entrecortada por engasgos — e o duro é que muitas vezes o indivíduo nem percebe enquanto dorme. Essas pequenas pausas na entrada de ar chegam a diminuir a concentração de oxigênio no sangue.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, cerca de 50% da população brasileira se queixa de qualidade de sono ruim e cerca de 30% da população adulta sofre de apneia do sono.

Os tipos de apneia:

Apneia obstrutiva do sono

É a forma mais comum, e ocorre quando os músculos da garganta relaxam durante o sono e as vias respiratórias se fecham, o que interfere e impede a respiração adequada. Isto pode reduzir drasticamente o nível de oxigênio no sangue. Assim, o cérebro recebe a mensagem de que algo está errado. Por ser incapaz de respirar, você desperta do sono por um breve momento - em que as vias respiratórias reabrem e permitem que a respiração volte ao normal. Esse problema, no entanto, se repete inúmeras vezes ao longo da noite e pode causar sérias complicações.

Apneia do sono central

A apneia do sono central é muito menos comum e ocorre quando o cérebro não consegue transmitir sinais para os músculos da respiração. Uma pessoa que sofre com este tipo de apneia pode acordar com falta de ar ou sentir dificuldade para dormir ou, ainda, para manter o sono. Assim como ocorre com a apneia obstrutiva do sono, aqui a pessoa também pode apresentar sonolência durante o dia.

Sinais e sintomas

– Ronco

– Respiração ofegante

– Sensação de sufocamento ao dormir

– Sono agitado

– Sonolência ao longo do dia

– Dificuldade de concentração

– Dor de cabeça matinal

Fatores de risco

– Excesso de peso

– Maxilar inferior encurtado, o que empurra a língua muito para trás, tapando a garganta

– Tabagismo

– Álcool em excesso

– Uso exagerado ou equivocado de sedativos

– Aumento das amígdalas e adenoides

– Dormir de barriga para cima

– Tumores

Os três tratamentos mais comuns

Pressão positiva contínua nas vias respiratórias (CPAP). CPAP é a opção de tratamento mais comum, o "padrão-ouro".

Pressão positiva automática nas vias respiratórias (APAP). Esta terapia para tratamento da apneia do sono varia automaticamente a pressão do ar durante toda a noite para responder às mudanças nas necessidades de pressão, o que pode ser mais confortável.

Terapia binível. Esta opção costuma ser usada quando é necessário utilizar uma pressão mais elevada para tratar a apneia do sono com mais eficácia.

Outra opção de tratamento

Cirurgia. Pode-se usar procedimentos cirúrgicos para tratar a apneia do sono. No entanto, como ocorre em qualquer cirurgia, existem riscos associados.

Leia também:   

Saúde mental, como encontrar o equilíbrio?   

O que é o Coaching e quais os benefícios que ele pode proporcionar?   

Coach Gislaine Bispo realiza palestra sobre bullying em escola Municipal de Itupeva 

A prevenção

Como o excesso de peso é um dos principais desencadeadores da apneia, um estilo de vida saudável, com alimentação equilibrada e exercício físico, é essencial para se ver livre do problema.

Os fumantes devem fazer um esforço extra e deixar o cigarro de lado, uma vez que o hábito costuma agravar bastante a condição. Recomenda-se também maneirar nas doses de bebida alcóolica, que em excesso interfere no ciclo do sono e no relaxamento da musculatura da garganta e se transforma em gatilho para o distúrbio.