Jundiai - SP

O Poder da Ação

O Poder da Ação

Um livro que com certeza poderá ajudar o leitor no despertar para a vida e para si mesmo: O Poder da Ação!

No livro “O Poder da Ação”, Paulo Vieira convida os leitores a romperem o círculo vicioso que prendem as pessoas à aceitação de elementos nocivos à própria vida e senso de realização – sejam uns quilinhos a mais, uma carreira que não decola etc.

A leitura da presente obra tem impacto positivamente a vida de muitas pessoas que, deliberadamente, abraçaram a mudança de seus estilos de vida em prol de uma existência mais feliz e rica – em todos os sentidos. Boa leitura!

O livro traz um despertar e um voto de otimismo em relação à vida e seu potencial.

Através de 7 capítulos o autor constrói ideias, destrói mitos, educa o leitor e propõe inúmeros exercícios de reflexão e ação. Os temas tratados pelo autor são de suma importância, pois estes compõem um ferramental valioso para lidar com os desafios e problemas da vida. A busca por desenvolvimento pessoal proposto no livro é estruturada nos seguintes capítulos: acordar, agir, autorresponsabilizar-se, focar, comunicar-se, questionar e crer.

Acordar. No automatismo da vida e da rotina diária muitas vezes perdemos a dimensão de nossas ações. Aprendemos a criar histórias, justificar fracassos e perdoar baixas performances. Nesse ciclo de inação e dormência deixamos passar coisas importantes, sem ajustar falhas e maus hábitos, vivendo de certa forma inconscientes. É preciso acordar, despertar para a vida, para nossas falhas, limitações e fraquezas. Realizar que nos enganamos e muitas vezes nos sabotamos.

Leia também:    

Saúde mental, como encontrar o equilíbrio?    

O que é o Coaching e quais os benefícios que ele pode proporcionar?    

Coach Gislaine Bispo realiza palestra sobre bullying em escola Municipal de Itupeva 

Os principais aprendizados que o livro pode trazer para o leitor:

A postura física afeta nossa mente e resultados. (A neurociência mostra que diferentes posturas influenciam a performance dos indivíduos.)

Mais trabalho não significa mais resultados. (É preciso trabalhar inteligente, otimizar as operações, ser estratégico.)

Sem auto-responsabilidade não tem como crescer. (Pois é preciso assumir a responsabilidade pela vida que se tem, pelos resultados obtidos, para então agir em relação a eles.)

Foco está relacionado com a maturidade. (É preciso ter clareza dos objetivos e uma força de vontade muito intensa para persistir em uma única meta).

O cérebro se acostuma. (A neurociência mostra que nosso cérebro acaba por aceitar e até mesmo procurar o padrão que mais se repete.)