Estádio Mário Milani

Estádio Mário Milani
Estádio Mário Milani
Compartilhe:

 

 

Mário Milani era o filho de uma família abastada de industriais da região de Jundiaí. Ele começou sua carreira em 1932, aos 14 anos, de forma um tanto despretensiosa, no time amador de Jundiaí chamado Estrela de Ouro. Entre 1933 e 1934, jogou no Minas Gerais, outro time amador da cidade, onde conquistou o título de campeão Jundiaiense o primeiro de sua carreira.

De 1935 a 1937, atuou pelo também amador Clube Atlético Comercial, time de maior tradição no futebol de Jundiaí na época. Em seu último ano no clube, voltou a conquistar o título de campeão Jundiaiense.

Um dia, jogando nos campos de várzea, foi observado por um olheiro e levado ao São Paulo Futebol Clube em 1937. Ficou um ano no clube, chegando a ser alçado ao posto de capitão em algumas partidas, mas não se firmou.

 Fluminense

Em 1938, o também jundiaiense Romeu Pellicciari, então ídolo do Fluminense (campeão carioca pela equipe em 1936 de 1937 e 1938), convenceu os dirigentes do seu time a contratarem Mário. Porém, o mais difícil foi convencer a família Milani a liberar a viagem do filho. Romeu teve de garantir que se responsabilizaria pessoalmente pelo conterrâneo.

Pelo time carioca, Milani sagrou-se campeão do Torneio Início e campeão Interestadual, ambos em 1940. Depois de alternar momentos muito bons e ruins no Fluminense, acabou por se transferir para o Corinthians em 1941.

Ídolo do Corinthians

Milani ficou no Corinthians de 1941 a 1948. Logo em seu primeiro ano, foi campeão paulista ao lado de atletas como Brandão, Tite, Servílio, Teleco e Jango.

Em 1942, começou a mostrar o seu faro de goleador e foi o artilheiro do Campeonato Paulista com 24 gols. O alvinegro terminou como vice-campeão, atrás do Palmeiras (então Palestra Itália).

Em 1943, Milani voltou a se destacar marcando 20 gols e sendo, novamente, o artilheiro do campeonato. Porém, o time ficou em segundo lugar de novo. Dessa vez, o campeão foi o São Paulo.

Durante sua época no ataque do Corinthians, o time conquistou ainda a Taça Supremacia/Torneio Quinela de Ouro (1942), Torneio Início do Campeonato Paulista (1944), Taça Cidade de São Paulo (1942/43, 1947/48), Taça de Campeões Rio-São Paulo (1941), entre outros. Foi vice-campeão paulista ainda em 1946, 1947 e 1948.

A fama de goleador de Milani fez com que ele ganhasse o apelido de "menino de ouro".

 Seleção Paulista

Na época em que Mário Milani era jogador de futebol, eram disputados campeonatos brasileiros de seleções estaduais. Cada unidade da federação escolhia os melhores atletas de seus clubes para disputar o torneio.

As boas atuações renderam a Mário Milani vaga na Seleção Paulista daquele ano, ao lado de Oberdan, Jango, Agostinho, Claudio, Lima e Teixeirinha. O jundiaiense faria parte do grupo dos melhores jogadores do estado por outros dois anos consecutivos.

Pela seleção paulista conquistou duas vezes o Campeonato Brasileiro de Seleções (1941 e 1942) sendo que, em 1942, foi também o artilheiro máximo do torneio com 11 gols.

 Fim da carreira

Após sair do Corinthians em 1948, já com 30 anos de idade, Milani se transferiu para o Juventus da rua Javari. Ficou lá até 1950, quando chegou a assumir o Moleque Travesso como treinador, em um período curto. Em 1951, Mário abandonou o futebol com a camisa do Paulista de Jundiaí, sua cidade natal.

 Pós-futebol e homenagens

A boa educação que Mário Milani teve durante a juventude e seu gosto por estudos já destoavam desde aquela época no meio do futebol. Depois que deixou os gramados, Milani foi Secretário Municipal de Finanças em Jundiaí e  Itupeva,  cargo de alto teor técnico.

Recebeu diversas homenagens em vida, mas algumas póstumas são marcantes ainda hoje. O nome dele foi dado a um viaduto na altura do km 70 da Rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto, que liga Jundiaí a Itu, e a um estádio municipal de futebol em Itupeva.

Endereço do estádio Mário Milani: Av. Pref. José Carlos, 318 - Jd. Ana Luiza - Itupeva

 

Salas Comerciais e Coworking Jundiaí - Espaço Comercial Villa Medeiros
Ver
Coworking Jundiaí

Sala Coworking completa, individual, ideal para reuniões, cursos, atendimentos, audiências, etc...

Elis Salles - Jundiaí - Itupeva
A palavra que me representa bem é empreendedora, atuamente estou administrando o Espaço Comercial Villa Medeiros com Salas Comerciais e Coworking e investindo no Refúgios no Interior de SP. Algumas atividades agregam minha trajetória profissional como empresária no mercado imobiliário durante 15 anos (2005-2020), Corretora de Imóveis (Creci f-68203), Avaliadora de Imóveis (Cnai 22634), escritora, practitioner em pnl, web designer e especialista em Marketing.

Você Pode Gostar: