Os Bairros de Itupeva - SP

Os Bairros de Itupeva - SP
Os Bairros de Itupeva - SP
Compartilhe:

A exemplo dos demais bairros que margeavam a via férrea, Monte Serrat também teve seu desenvolvimento em função do trêm.

É bem verdade que antes do surgimento da ferrovia a fazenda que deu o nome ao lugar era importante produtora de café, com dezenas de colonos que substituíram os escravos.

O bairro cresceu nas proximidades da fazenda e em torno da estação ferroviária, tornando-se o centro comercial mais importante da região. Maior ainda do que a própria Itupeva, Monte Serrat teve vários armazéns que atendiam às inumeras fazendas da região bem como proporcionavam divertimento aos habitantes, chegando abrigar três salões de baile, onde também funcionava um cinema.

A agência de correios e telégrafos funcionava em Monte Serrat, porquanto aqui em Itupeva as cartas eram distribuidas pelo barbeiro aos destinatários.

No começo do século XX, a Light & Power construiu em Monte Serrat duas usinas que geravam energia elétrica para Jundiaí. Ainda existem as ruínas da usina II ( que com certeza deveria ser restaurada e aberta ao turismo) e da adutora que levava água captada na barragem, situada aproximadamente um quilômetro rio acima.

As famílias Tonoli, Fregnani e Dentello tiveram muita influência na vida de Monte Serrat. Vicente Tonoli foi proprietário da fazenda e grande produtor de café. Os Fregnani estabeleceram-se com armazéns de secos e molhados que atendiam as várias fazendas da redondeza. Os correios e telefonia, além de outros comércios, estiveram aos cuidados dos Dentello. O progresso do município de Itupeva também atingiu o bairro de Monte Serrat, onde diversos empreendimentos imobiliários se desenvolveram, jpa com adequada infraestrutura, enquanto outros estão sendo implantados.

Estamos cercados por vários bairros. Uns tão antigos quanto a própria Itupeva outros foram-se formando na medida em que o município foi-se desenvolvendo e a necessidade de novas moradias determinou o surgimento de conjuntos residenciais. Não que os antigos bairros parassem no tempo. Não. Também ele cresceram, acompanhando o progresso da sede do município. Quilombo, como o proprio nome diz, foi refúgio de escravos oriundos das fazendas da região de Campinas que encontraram ali, as margens do rio Jundiaí, lugar propício para se fixarem.

Com a construção da ferrovia em 1873, ali se estabeleceu um ponto de abastecimento das locomotivas, consequentemente, fixando as residências dos primeiros ferroviários. Como seria natural, o trem passou a executar com mais rapidez e comodidade o trabalho de transporte de passageiros e mercadorias para as fazendas. Tarefa antes feita por carroças e tropas de burro.

A exemplo de outros bairros, o casario foi sendo construído em torno da estação com armazéns que distribuiam mercadorias para as fazendas.

 

Fotos: Elisângela Salles

 

Salas Comerciais e Coworking Jundiaí - Espaço Comercial Villa Medeiros
Ver
Coworking Jundiaí

Sala Coworking completa, individual, ideal para reuniões, cursos, atendimentos, audiências, etc...

Elis Salles - Jundiaí - Itupeva
A palavra que me representa bem é empreendedora, atuamente estou administrando o Espaço Comercial Villa Medeiros com Salas Comerciais e Coworking e investindo no Refúgios no Interior de SP. Algumas atividades agregam minha trajetória profissional como empresária no mercado imobiliário durante 15 anos (2005-2020), Corretora de Imóveis (Creci f-68203), Avaliadora de Imóveis (Cnai 22634), escritora, practitioner em pnl, web designer e especialista em Marketing.

Você Pode Gostar: